Bicuda Ecológica

Em defesa da Serra da Misericórdia

Projetos

  • Capacitação em radiojornalismo

    2013 – Curso de radiojornalismo aos programadores

Capacitação em técnicas de radiojornalismo aos comunicadores, estudantes de jornalismo e profissionais de comunicação social em parceria com a ONG Jequitibá. Neste projeto dois jornalistas suíços ensinam e reciclam técnicas profissionais com vários módulos de formação. A iniciativa também fornece equipamentos para estruturar a Bicuda FM.

 

 

 

  • Educação Ambiental através das ondas da Bicuda FM

 

2014Wellington Andrade apresentando Programa Bicuda MPB

2014 – Wellington Andrade apresentando Programa Bicuda MPB .

Promover educação ambiental através das ondas da Rádio Comunitária Bicuda FM 98,7. Esse é o principal objetivo do Programa Frequência Ecológica, uma parceria da Rádio Bicuda FM 98,7 com a Brazil Foundation. Neste programa, questões ambientais são apresentadas em forma de spot’s educativos ao longo da programação da Bicuda FM às quintas-feiras e reprisado no domingo seguinte. Depois, esse material radiofônico juntamente com diversos documentos ambientais, ficará disponível no blog Frequência Ecológica para consulta e download. Com essa parceria, a diretoria da instituição adquiriu novos equipamentos e reformou o estúdio da Rádio.

 

 

  • Rádio Comunitária Bicuda FM 98,7 

    2000 - Sandra de Sá na Bicuda FM

    2000 – Sandra de Sá na Bicuda FM

Promover a educação ambiental, a democratização da comunicação e as expressões culturais da Zona Norte. São esses os objetivos da Rádio Comunitária Bicuda FM 98,7 MHz, o veículo de comunicação da ONG Bicuda Ecológica.Situada no bairro de Vaz Lobo, sua transmissão alcança parte de Madureira, Irajá, Vicente de Carvalho, Vila da Penha, Vila Kosmos, Colégio, Rocha Miranda, Guadalupe, Oswaldo Cruz, Campinho e Thomaz Coelho.

 

  • Jornal Bicuda Notícias
1999 - Distribuição do Jornal Bicuda Notícias

1999 – Distribuição do Jornal Bicuda Notícias

 

Periódico bimestral de comunicação comunitária com prioridade para assuntos da região e de educação sócio-ambiental. Este projeto busca integrar jovens da comunidade na produção de um meio impresso – o Jornal Bicuda Notícias – na expectativa de fomentar debates sobre a necessidade de conservar o meio ambiente para se obter uma melhor qualidade de vida aos moradores da região.

 

 

  • Ecofeiras (2002, 2003 e 2004)

Nestes eventos, realizados na Praça Comendador Manuel Gomes, em frente ao Clube Casa de Viseu, a Entidade tem o objetivo de inserir a questão da Serra da Misericórdia na discussão sobre a qualidade de vida da população da zona da Leopoldina, dentro das comemorações da Semana do Meio Ambiente.

2002 - 1ª Ecofeira na Vila da Penha, Rio de Janeiro

2002 – 1ª Ecofeira na Vila da Penha, Rio de Janeiro

Entre os diversos objetivos e benefícios trazidos pela iniciativa, destacam-se: a divulgação da existência da Área de Proteção Ambiental e Recuperação Urbana (APARU) da Serra da Misericórdia (Decreto nº 19.144/2000 – Diário Oficial do Município do Rio de Janeiro de 16/11/2000), apresentar à sociedade local trabalhos e atividades de ONG’s e entidades governamentais que atuem na área de meio ambiente, fazer com que a temática do meio ambiente seja colocada na agenda cotidiana da população e, por fim, trazer atividades de lazer e cultura para uma praça do subúrbio d município do Rio de Janeiro.

Os trabalhos das ONG’s, de indivíduos, escolas e entidades governamentais ficam expostos em barracas ou tendas no entorno da Praça para serem visitados pela comunidade. São distribuídos materiais informativos sobre meio ambiente e qualidade de vida, além de mudas nativas de Mata Atlântica doadas pela Fundação Parques e Jardins da Prefeitura do Rio de Janeiro.

 

  • Escola de Infornática

Oferecer à juventude oportunidades de familiarização e aprofundamento na utilização de novas tecnologias de comunicação e informação, ou seja, proporcionar a inclusão digital para a comunidade. Foi com este objetivo que a Bicuda Ecológica implantou o Espaço Jovem Bicuda Ecológica em 14 de fevereiro de 2003. Nele, os jovens freqüentavam espaços comunitários com computadores e acesso à Internet, tudo gratuito.

2002 – Espaço Jovem Internet Gratuita

O programa consistia na parceria para o desenvolvimento solidário. Com esse tele-centro voltado para juventude, eles se ambientam para trocar e solucionar coletivamente problemas comuns à juventude brasileira. Com seis computadores, dois estagiários e conexão banda larga, o projeto leva conhecimento e informação à população jovem, utilizando a Internet como instrumento para cidadania ativa. No Espaço Jovem Bicuda Ecológica, a juventude tem um espaço para discutir seus problemas, fazer pesquisa para escola, criar seu correio eletrônico, procurar emprego, ler revistas ou jornais pelos quais não pode pagar.

O Projeto foi uma parceria com a ONG Comunitas, que desenvolve o Projeto Rede Jovem, no qual cedia os computadores, periféricos e pagava os estagiários durante os seis primeiros meses. A mantenedora, Bicuda Ecológica, garantia o espaço para a realização do Projeto, além de arcar com os custos com: energia elétrica, conexão banda larga e mão-de-obra para manutenção da rede e dos microcomputadores.

 

  • Cidadania (EIcológica)

Oferecer à juventude oportunidades de familiarização e aprofundamento na utilização de novas tecnologias de comunicação e informação,  proporcionar inclusão digital.

2002 - Projeto  CDI

2002 – Projeto CDI

As Escolas de Informática e Cidadania (EICs) são espaços informais de ensino criados por meio de uma parceria entre o Centro de Democratização de Informática (CDI) e organizações comunitárias ou movimentos associativos, tais como: centros comunitários, entidades de classe, grupos religiosos, associações de moradores, entre outros.

As EICs seguem uma proposta Político-Pedagógica desenvolvida pelo CDI que está baseada na Pedagogia de Projetos. A Proposta procura disseminar junto às comunidades beneficiadas, o ensino técnico aliado a temas da realidade local, possibilitando a inclusão digital no contexto e linguagem regional de uma comunidade.  Para cada ferramenta computacional é elaborado um projeto que envolve um processo de reflexão / ação. Utilizando a linguagem digital como meio, o conteúdo didático fomenta a construção da cidadania, através de discussões envolvendo temas como os direitos humanos, sexualidade, não-violência, ecologia e saúde. Esse projeto foi realizado na Bicuda Ecológica entre os anos de 2003 e 2004.

 

  • Ponto Com Saúde

Programa de rádio e palestra sobre a prevenção de DST/Aids. Projeto desenvolvido em parceria com o Ministério da Saúde (2001 – 2005). Surgiu como desdobramento do Núcleo de Comunicação e Saúde da Rádio Bicuda, que tinha um trabalho sistemático de formação e capacitação de comunicadores para trabalhar os temas da saúde, inclusive os das dst/aids no rádio desde 2001. O Projeto Ponto Com Saúde tem como proposta ser uma agência de rádio facilitadora de ações de comunicação e saúde, através de uma ação pedagógica que são as oficinas e de produção de materiais de apoio. Estes são produzidos em áudio e escrito para que os comunicadores de rádios comunitárias possam trabalhar os temas de saúde nos programas. Esse material radiofônico é elaborado para que o comunicador possa utilizá-lo na sua voz, seu tempo e ritmo.

2002 – Comissão de africanos visitando e participando do Programa Ponto Com Saúde.

Financiado pelo Ministério da Saúde, Coordenação Nacional de Prevenção de DST/AIDS e da UNESCO, a Agência visa municiar comunicadores de rádios comunitárias com materiais sobre saúde. Além disso,  o Projeto Ponto Com Saúde tem uma página na Internet (www.pontocomsaude.com.br), que está sendo alimentada com textos teóricos, com materiais em áudio e também terá um espaço disponibilizado para divulgação de novos projetos. Esses produtos estão sendo oferecidos as rádios comunitárias de todo Brasil, objetivando contribuir para que sejam usados em novos projetos de intervenção, ou seja, de novos programas de comunicação e saúde.

As produções são geradas a partir de gravações de encontros, plenárias, assembléias, atos públicos, seminários, oficinas e fóruns de saúde organizados pela sociedade civil. O Fórum de ONG/AIDS do Rio de Janeiro, Fórum de Profissionais do Sexo, que também trata de questões de saúde, e Fórum de ONG e Tuberculose são exemplos desse processo. O Ponto Com Saúde acompanha as atividades do Conselho Distrital de Saúde, os encontros estaduais e municipais de aids, os encontros e seminários de capacitação realizados por várias organizações que promovem o controle social de saúde e a prevenção às dst/aids.

 

  • Gaia Não Pode Esperar

Projeto de formação ambiental e social onde alunos de escolas públicas da região tinham aula de educação ambiental na Serra da Misericórdia (2001).

2002 – Projeto Gaia com alunos da Escola Municipal Cecília Meireles

Com um histórico de proximidade com a comunidade e com as escolas da Vila da Penha, a Bicuda Ecológica desenvolveu um projeto de educação ambiental – Gaia Não Pode Esperar – para ser executado no ano de 2001. Ela tinha como meta consolidar um trabalho sistemático de educação ambiental entre os jovens estudantes das escolas públicas no entorno da Serra. Nesse processo, professores e membros do Conselho Escola Comunidade da Escola Municipal Cecília Meireles foram parceiros indispensáveis.

A juventude por ser mais aberta aos problemas atuais, pela grande potencialidade de ser formador de opinião e pela disponibilidade para luta de forma transparente foi escolhida como principal alvo. Ela precisa ser formada e informada quanto à importância da preservação ambiental.

O Projeto Gaia Não Pode Esperar tinha como objetivo contribuir para a formação de cidadãos conscientes da correlação do homem com o meio ambiente, da necessidade de preservação da natureza e de suas variadas formas de vida. Ele tinha como meta criar meios para que se desenvolva na sociedade local pessoas que rejeitem a violência em todas as suas formas: social, econômica e política. Nele, os educadores estimularam a criação de um grupo ecológico mirim de observadores e defensores da Serra da Misericórdia, visando à implantação de um futuro parque ecológico na região – Parque Municipal Jardim do Carmo. E por fim, despertar a população local para a questão ambiental, objetivando implantar a agenda 21 na região.

 

  • Caminhadas Ecológicas na Serra da Misericórdia

 

1996 – Posse simbólica da Pedra Bicuda

Alunos da Escola Municipal Cecília Meireles em conjunto com moradores da Praça Vitor de Oliveira – Vila da Penha, Rio de Janeiro – e adjacências fizeram uma caminhada na Serra da Misericórdia para manifestar preocupação com a degradação do ecossistema da região em cinco de junho de 1995. Chegando à Pedra Bicuda, assinaram um manifesto pela preservação e reflorestamento da Serra para ser encaminhada ao então secretário municipal de meio ambiente Alfredo Sirkis.

As caminhadas passaram a representar não só um passeio ecológico em que se aprendia educação ambiental. Pessoas de diversas idades descobriram uma região de lazer bem pertinho de casa. O final das caminhadas é na Pedra Bicuda com sua vista privilegiada para Baía de Guanabara e o Aeroporto Tom Jobim (Galeão).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s